Dia do consumidor: Conheça seus direitos

O Dia Internacional do Consumidor surgiu de um famoso discurso do presidente americano John Kennedy em 15 de março de 1962. Dizia que todo consumidor tem direito à segurança, à informação, à escolha e de ser ouvido.

Em 1985 a data foi comemorada pela primeira vez, e a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) adotou os Direitos do Consumidor como Diretrizes Gerais das Nações Unidas, dando legitimidade e reconhecimento internacional desta data.

O Dia do Consumidor se transformou em mais uma daquelas datas criadas pelo comércio para incentivar o consumo, como a Black Friday. Gerando muitas vezes alguns fraudes e a melhor forma do consumidor evitar dores de cabeça, é conhecendo seus direitos.

Pensando nisso, separamos então alguns direitos básicos para você consumidor. Confira:

- Desistência de compra

Todo consumidor brasileiro tem até 7 dias a partir do recebimento de um produto para desistir de uma compra. Isso vale mesmo que o objeto esteja fora do lacre ou embalagem.

- Proteção da vida e da saúde

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece que, antes de comprar um produto ou utilizar um serviço, o consumidor deve ser avisado pelo fornecedor sobre

os possíveis riscos que eles podem oferecer à saúde ou a sua segurança. Assim, na hora de comprar, analise se o produto possui informações adequadas e questione os vendedores.

- Direito à Informação

Para comprar um produto, você precisa ter informações precisas daquilo que está adquirindo. Todo produto deve conter dados claros e precisos quanto a quantidade, peso, composição, preço, riscos que apresenta e modo de utilização. Da mesma forma, antes de contratar qualquer serviço, você deve ter todas as informações que julgar necessário. Questione sempre os fornecedores e esclareça todas as dúvidas antes de adquirir o produto ou serviço.

- Proteção contra publicidade enganosa e abusiva

Você se encanta com um produto na propaganda que viu e depois de comprá-lo, percebe que ele não corresponde àquilo que foi prometido no anúncio. Você tem o direito de exigir que tudo o que for anunciado seja cumprido, caso isso não aconteça, o consumidor tem direito de cancelar o contrato e receber a devolução da quantia que foi paga.

- Direito de proteção de dados do consumidor

Muitos não sabem, mas a Lei de proteção de dados (LGPD) aprovada em 2018 dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, o direito de saber para que os seus dados estão sendo utilizados. A ideia desta lei que entrará em vigor neste ano de 2020 é que nenhuma empresa ou governo poderá utilizar os seus dados, sem a sua autorização expressa. Ou seja, os titulares possuem o direito de restringir o tratamento de dados pessoais, por meio da recusa em fornecer o consentimento.

- Amostras grátis

Nenhuma empresa pode cobrar por um produto ou serviço sem que o consumidor tenha solicitado. Caso isso aconteça, será entendido como uma “amostra grátis”. Se o consumidor tiver que pagar por algo em que ele não pediu, terá direito à restituição.

- Produtos com defeito

Se você comprar um produto com defeito, tem o direito de levar o produto ao fornecedor que tem o prazo de 30 dias para reparar o defeito. De acordo com o Procon-SP, o produto deve ser entregue para a loja onde foi comprado. O fornecedor ou importador serão responsáveis pelo conserto do produto. Caso o problema não seja resolvido em 30 dias, pode-se solicitar um novo produto ou pedir restituição imediata da quantia paga.

- Contrato de adesão

Normalmente, ao contratar um produto ou serviço, o consumidor assina um contrato de adesão, que é um acordo com cláusulas pré-redigidas pelo fornecedor e conclui um contrato, assumindo obrigações.

O CDC o protege quando as cláusulas do documento não forem cumpridas ou quando são cláusulas abusivas, que são contrárias as proteções previstas no CDC. Quando isso acontece, as cláusulas podem ser anuladas ou modificadas por um juiz.


Dicas de Endomarketing para sua empresa

Endomarketing ou marketing interno pode ser definido como ações que a empresa realiza para motivar, engajar e interagir com os colaboradores, veja algumas formas de implementar essa ação em sua empresa:

- Procure entender como o colaborador se sente:

Realizar pesquisas de satisfação é uma ótima maneira de saber como seus colaboradores estão se sentindo em fazer parte de sua equipe. A partir dos resultados da pesquisa realizada, fica mais fácil e assertivo tomar decisões que irão contribuir com a convivência na sua empresa.

- Dê sempre Feedback

Aplicar o retorno de resposta é uma ação essencial na comunicação da empresa, e para aplicar o endomarketing de forma criativas na empresa é preciso fazer dessa prática uma cultura interna. Incentive cada vez mais a desburocratização nas respostas a serem compartilhadas com sua equipe.

- Invista em cursos e treinamentos

Sabemos que o aprendizado é uma jornada contínua, que não se deve parar, por isso deve-se investir em treinamentos e qualificações constantes para capacitar a sua equipe e atingir melhores resultados, desenvolvendo novas habilidades e agregando valor não só para o colaborador, mas também sim para toda a empresa.

- Crie eventos internos

Realizar workshops, cafés da manhã e reunião com palestrantes, ajudam na construção de um colaborador potencializado em suas capacidades e habilidades executivas, criando assim um ambiente saudável, proativo e informativo.

- Lembre-se dos aniversariantes

Mostrar algum apreço pelo colaborador em sua data comemorativa é uma maneira de mostrar que sua empresa é humanizada e que se importa com a integração de todos os funcionários.

Algumas formas de colocar esta ação em prática é:

  • Colocar foto dos aniversariantes nas televisões internas da empresa e nas redes sociais;
  • Realizar uma comemoração com os funcionários aniversariantes do mês;
  • Entrega de brinde para os aniversariantes em suas designadas datas.

 

Pratique endomarketing na sua empresa, pois seus colaboradores são peças indispensáveis para atingir resultados. Com essas dicas sendo aplicadas, a comunicação corporativa será mais assertiva e satisfatória para todos.


Cuidado! Sua administradora de condomínios pode ser penalizada na LGPD

As prestadoras de serviços que lidam com um grande número de clientes, como administradoras de condomínios, devem se apressar para se adequar à nova legislação da LGPD.

A regulamentação da LGPD prevê uma série de normas e princípios que devem ser observadas pelos setores privados e público, que trabalham com dados pessoais ou dados sensíveis. Assim como qualquer empresa as administradoras de condomínios também devem buscar modelos de atuação mais seguros e inteligentes, para proteger seus clientes contra possíveis roubos ou vazamentos de dados.

Administradoras, aplicativos, empresas de portaria remota, terceirizadoras de mão de obra, entre outras devem, sim, se adequar aos ditames da lei, e devem fazê-lo com atenção, pois as multas podem ser bastante altas: variam de advertências simples a multas de 2% do faturamento do grupo da empresa até R$ 50 milhões por infração.

Pode até parecer que há bastante tempo para que as empresas se adequem à lei, que entra em vigor em agosto de 2020, mas há muito a ser feito, as empresas terão que conseguir comprovar que os dados recolhidos por ela foram obtidos com autorização do titular.

Nós da Gosoft Academia de Negócios abrimos uma nova turma para o curso "LGPD - O impacto na Administração de Condomínios" onde iremos abordar assunto ligados diretamente a nova lei e sanar dúvidas sobre como se adequar.

 

Você não pode perder!

Faça sua inscrição agora mesmo: https://www.eventbrite.com.br/e/lgpd-o-impacto-na-administracao-de-condominios-tickets-93495430349?fbclid=IwAR1RUgOtipvkpeVdyP_xKKhdkS5u1hrtsH-PJwKxk2LbGJSDU1AQP2OTfaU